25 de maio de 2011

Contato com proteínas o leite pelo ar

Final de semana passado minha filha teve uma crise alérgica.
O motivo?
O local onde nos encontrávamos, uma festa de aniversário, estavam fazendo crepe com queijos e o ambiente estava um pouco abafado.
Ela não teve contato com a comida, mas mesmo assim teve uma crise de asma aguda, típica reação dela às proteinas do leite.
Ao consultar a Alergologista-Imunologista, ela declarou que é possível desencadear reações alérgicas atravéz da inalação das proteínas do leite...
Portanto, pra mim, não basta só ler os rótulos, evitar o leite, ou os traços dele, mas tenho também de evitar locais pouco ventilados onde se processe produtos com as proteínas do leite, tipo lanchonetes, padarias, etc.

22 de maio de 2011

Texto sobre alergia ao Leite de Vaca

Encontrei um texto interessante que explica mais sobre a Alergia ao leite de Vaca.

A alergia à proteína do leite é a de maior prevalência dentre as que são registradas no Brasil.
As proteínas são cadeias curtas ou longas de aminoácidos unidos por ligações peptídicas. A alergia alimentar ao leite de vaca é uma entidade clínica resultante da sensibilização (irritação) das vilosidades intestinais de um indivíduo a uma ou mais proteínas do leite como a beta-lactoglobulina, a caseína, a globulina sérica e a albumina sérica.
Os sintomas mais freqüentes manifestam-se no trato gastrointestinal, trato respiratório e pele. As manifestações clínicas incluem prurido nos lábios, língua ou palato, lacrimejamento, diarréia, náusea, dor abdominal, angiodema, bronco espasmo e constipação intestinal. O diagnóstico consiste em eliminar o leite de vaca e também todos os seus derivados da dieta do indivíduo. Se os sintomas inicias cessarem está devidamente constatado o caso de alergia ao mesmo. É importante não ingerir leite e seus derivados quando apresentar esta alergia, estar atento quanto à composição dos alimentos industrializados, verificando sempre o rótulo antes do consumo.
Alimentos que devem ser evitados:
1)Leite de vaca
2)Margarina, Manteiga
3)Queijos em geral
4)Iogurtes em geral
5)Chocolate, Achocolatado, Creme de leite, Leite condensado
6)Sorvetes
7)Sopas prontas/ instantâneas cremosas, patês (pode conter caseína)
8)Salsichas (pode conter proteínas do leite) entre outros
Muita atenção para a leitura de rótulos e verificação da presença de leite e derivados na composição dos alimentos. 


Fonte: Tolerando a intolerancia

Pudim de leite de Coco

Encontrei uma nova receita de Pudim, que vou testar esta semana.

Segue ela aqui

Pudim de leite de coco sem lactose
Ingredientes:
6 ovos
2 vidros de leite de côco (400 ml)
2 xícaras de açúcar
1 pitada de sal
Modo de Preparar: Bata tudo no liquidificador (coe as gemas para tirar a pele), despeje numa forma de pudim pequena (cerca de 20 cm de diâmetro), caramelada e asse em banho-maria por uma hora, em forno médio. Desenforme depois de gelado (esquente alguns segundos na trempe do fogão para amolecer a calda).


fonte: Tolerando as intolerancias

21 de maio de 2011

Intolerância à lactose

----->> O que é?

É uma disfunção no organismo que impede a disgestão da lactose.

A lactose é um tipo de glicídio (açúcar) que existe no leite e nos seus derivados. A intolerância à lactose é a incapacidade do organismo em digerir a lactose provocada pela ausência ou mau funcionamento da enzima lactase que se encontra ou não no intestino.

Quando a lactase não recebe a lactose para digeri-la ela se acumula na flora intestinal para que essa a fermente. Quando a flora intestinal inicia a digestão da lactose produz ácidos e gases orgânicos que acabam provocando acidez de ph 6,0, barulhos no abdômen, diarréia, cólicas, náuseas, vômitos, ardência anal, retenção de água no intestino.

A intolerância pode acontecer por causa da deficiência ontogenética da lactose como dito anteriormente, pela diminuição enzimática que ocorre no primeiro ano de vida, quando existem casos de diarréia prolongada que destrói as células da mucosa intestinal e ainda por deficiência congênita que ocorre por defeitos genéticos que impedem o organismo de produzir a lactase.

Na fase inicial da vida de um bebê, pode-se controlar a intolerância a partir da exclusão do leite e seus derivados que contenham lactose. Já as crianças maiores e os adultos, além de ingerir leite e derivados sem lactose diariamente, podem ingerir em baixas quantidades e em dias alternados.

fonte:tudosobrealergia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...