22 de fevereiro de 2012

Padaria em casa

No começo do ano comprei uma máquina de fazer pão, a tal "panificadora".
Foi ótimo, pois além de evitar comprar pães que contenham traços de leite, nós passamos a comer pão quentinho pela manhã, já que é possível programá-la para fazer tudo sozinha.

Aqui segue a receita que tenho feito:
Configurando a máquina: Escolher pão tipo francês.

Pão frances com ervas e Azeitona
Ingredientes da massa
-500g de farinha de trigo
- 250ml de água fria
- 1 saquinho de fermento biológico seco
- 1 colher de sobremesa de açúcar
- 1 colher de sopa da sal
- 1/4 de xícara de óleo vegetal
- 1/2 xícara de azeitonas verdes picadas
- 3 colheres de sopa bem cheias de oregano seco.

Preparo
No recipiente da máquina coloque primeiro todos os líquidos, depois o sal, o açucar, a azeitona e o oregano.
Depois despeje a farinha, e faça um buraco para colocar o fermento totalmente separado os outros ingredientes (se o fermento encostar na agua, no açucar ou no sal antes da máquina  começar  a funcionar o pão não cresce) (estas dicas são para fazer o pão pré-programado, hoas antes)


Sugestão de outros recheios
- Calabreza fatiada
- Palmito

Comendo fora com alergicos ao leite de vaca

Não é simples comer fora de casa quando se tem alergia alimentar, se a alergia for ao leite de vaca, a situação fica ainda mais delicada.
Primeiro porque quase todos os alimentos tem leite, seus derivados ou são processados junto com os que tem leite, causando os traços de leite.
Segundo porque a maioria das pessoas não tem a menor idéia do que significa a alergia, ou mesmo que por exemplo margarina, queijo, manteiga possam desencadear reações que podem levar pessoas ao hospital ou o que é anafilaxia.

Em muitos restaurantes é comum se usar manteiga, ou margarina para "desenformar" o arroz, o que o deixa mais soltinho, mas geralmente não é incluido na lista de ingredientes da receita do arrroz, o restaurante "Viena" é um deles.
Sucos também podem ser perigosos, a "Limonada Suíça" é comumente adoçada com leite condençado, assim como o suco de cupuaçu e até mesmo, pasme suco de caju. Um suco de caju causou a primeira anafilaxia da minha filha.
As chapas de muitos restaurantes estão cheias de queijo, e mesmo uma limpesa superficial não resolve o problema para a maioria dos alérgicos ao leite.

Então quando sair para comer fora, procure o chef, ou nutricionista, ou mesmoo o cozinheiro e explique detalhadamente que não pode ingerir leite, manteiga, margarina, queijo, nem seus traços, se possível explique as reações que você tem, pois assim você consiguirá com que eles tenham maior cuidado com os alimentos preparados para o alergico.
Outra sujestão que eu inclusive já mencionei aqui é fazer cartões de visita com os alergenos e com detlhes sobre os traços para serem entregues. Eles ajudam aos funcionários a não esquecerem dos ingredientes que o alergico não pode, e como não contaminar o alimento que será preparado..

21 de fevereiro de 2012

Festas: enfeitando doces

Toda a comida fica mais atraente se enfeitada. Com bolo e docinhos não poderia ser diferente.
Para sorte dos alergicos ao leite de vaca, existe uma grande variedade de confeitos para decorar doces.

Aqui seguem alguns exemplos:
- Confeito granulado de chocolate. Marcas que não contém leite: Garoto, Dori (esta marca inclusive fala de alergenos em sua lista de ingredientes).
- Bala de Goma. Dori

EDITADO 15/08/2012.
- Confeitos Figuras Crocante. Tem figura de coração, de boquinhas, de bolinhas, estrelhinhas e outras em diversas cores. Ontem fui ao mercado e decobri que a Marca: Mavalério agora em suas embalagens diz que pode conter traços de leite. Nós nunca tivemos problemas de reações com o produto, mas não aconselho aos alergicos ao leite de vaca comprarem por ser um risco.



Lembrando que as sugestões acima não contém leite, mas que mesmo já tendo sido testados por mim, muitas vezes as fábricas fazem alterações, portanto antes de consumir leia o rótulo e se achar necessário ligue para o Sac do fabricante.

14 de fevereiro de 2012

Minha história

A minha filha é alergica ao leite de vaca desde os 7 meses de vida.
Minha filha nasceu em 2004 e eu a amamentei, exclusivamente até o 6º mes, desde os primeiros dia de sua vida ela teve refluxo, doença que faz com que o leite retorne após ser ingerido, algo muito parecido com vômito.
Aos 4 meses ela ganhava bem peso, mas algo aconteceu e ela passou a recusar a ser amamentada, e o parou de ganhar peso, como crescia ao 6º mes ela já apresentava aumento de peso abaixo da linha do percentil 30, o que é muito ruim para qualquer bebê.
Preocupados com o ganho de peso, a pediatra nos indicou que introduzíssemos os alimentos, inclusive ricota, e mesmo outros produtos que continham leite de vaca. Nós tentamos, mas ela não comia, e quando esbarrávamos o leite nela ela ficava vermelha.
Aos 7 meses, ela não gostava de comer nada, nem mamar, então um dia demos para ela uma mamadeira de leite de vaca, tipo uns 100 ml, ela tomou e desenvolveu uma febre que não baixava.
Cismada com o diagnóstico eu pesquisei na internet e solicitei para a pediatra que fizéssemos um RAST para alergia de leite.
Foi então que descobrimos que ela era alergica ao leite de vaca, e uma dieta de restrição para ela foi iniciada, mas até então eu não sabia que deveria entrar em dieta também, e continue amamentando ela até 1 ano e 3 meses.
As reações que ela tinha ao leite de vaca eram: vômito, vermelhidão na pele quando tinha contato, diarreia.
Os anos passaram e a alergia dela continuou  aumentando, a cada Rast que fazíamos a resposta à Caseína aumentava, o que segundo os médicos é a proteína que dá o prognóstico da alergia.
Aos 4 anos de idade ela teve uma anafilaxia respitarória, por ingestão de um suco de caju que adoçaram com leite condensado, um acidente... Fomos para nos hospital porque ela não conseguia respirar.
A partir daí ela não podia mais comer nada, nem com traços, que ela rapidamente entrava em anafilaxia respiratória.
Para uma criança não é uma vida fácil, cheia de restrições, não poder nem que os amigos que comeram brigadeiro pudessem enconstar nela que ela já ia parar no hospital.
E para piorar as estatísticas não são muito boas para quem passa dos 5 anos de idade e tem alergia ao leite de vaca. 
Ela então fez 6 anos e decidimos procurar uma solução que nos ajudasse.
Ouvimos falar de um tratamento de dessensibilização, ele ainda está em testes, ainda não há um protocolo totalmente definido, mas entre correr risco de vida a cada dia, e tentar uma solução nova, escolhemos a solução.
Ela começou o tratamento dia 21/09/2011, e muita coisa mudou, mas no meio do caminho ela teve uma reação alergica não mediada, vômitos, causados por uma esofagite eosinofílica, e tivemos de estacionar no tratamento.
Hoje ela tem 7 anos, continua com restição total de alimentos que contenham leite de vaca, mas ela é uma garota saudável, e tenho fé que um dia ela vai superar.

Eu decidi escrever este Blogg em 2009, para dividir e multiplicar conhecimentos.
Se você tiver dúvidas, comente, eu sempre respondo.

Doença causada por alergia

Mais uma prova de que as proteínas do leite de vaca podem passar da mãe para o bebê atravez do leite materno.
E que se a criança for sensibilizada pode ter reações alergicas.
"
Colite induzida por proteínas alimentares
Trata-se de uma doença intestinal causada por alergia a alguma proteína da dieta, em geral do leite de vaca ou da soja, que ocorre especialmente em crianças pequenas. Pode iniciar até mesmo no 2º mês de vida em bebês que são alimentados exclusivamente com o leite materno. Frações de proteínas do leite de vaca da dieta materna são detectadas no leite humano e podem sensibilizar o lactente. Entretanto, em geral, os sintomas iniciam logo após o desmame. As crianças podem apresentar vômitos, diarréia, cólicas, pequena perda de sangue nas fezes, que raramente causa anemia, e dificuldade para ganhar peso e estatura. Além dos alimentos citados, outros, como ovo, arroz, aveia e aves domésticas podem ser responsabilizados.
O diagnóstico é obtido através do desaparecimento dos sinais clínicos após a eliminação da proteína alimentar causal da dieta. A reintrodução do alimento leva ao reaparecimento dos sintomas dentro de algumas horas ou dias.Não há melhor teste diagnóstico do que esse.
O exame endoscópico pode mostrar a inflamação e as erosões na mucosa, com sangramento. A biópsia revela infiltração eosinofílica, que é característica da doença alérgica intestinal. Os testes cutâneos (prick teste) e o RAST são caracteristicamente negativos. Não há referências na literatura da indicação de outros testes diagnósticos.
O tratamento consiste, portanto, na retirada completa do alimento envolvido da dieta, levando a uma melhora dos sintomas em poucos dias (2-3). Entretanto, a resolução das lesões intestinais só ocorre após um mês ou mais do início da exclusão apropriada do alimento causal.
A maioria das crianças melhora da alergia alimentar após os 2-3 anos de vida, porém algumas mantêm a hipersensibilidade ao longo da infância.


fonte: ASBAI

13 de fevereiro de 2012

Limpeza demais faz até mal


Como diz a propaganda de um certo sabão em pó, sujar faz bem.

Uma amiga da minha irmã recentemente nos lembrou de como tomar banho com sabonetes antibacterianos podem ser prejudiciais à saúde.
Não é saudável remover 99% das bactérias da pele, pois nem todas as bactérias são patogênicas (causadoras de doenças). Todos nós temos uma flora de defesa na pele, e nos orgãosd internos, boca... em todo lugar. (Lembre-se que tomamos iorgutes com lactobacilos (bactérias) vivos para proteger a flora intestinal?). Então os sabonetes antibacterianos removem 99% das bactérias, e diminuem as nossas defessas, e baixam a imunudade e aumentam casos de alergias
A industria farmaceutica não está interessada apenas na sua saúde, há os lucros.
Lavar bem as mãos com sabonetes comuns, neutros, glicerinados, ou qualquer um a sua escolha é a solução. Os bactérianos só em casos específicos.
Criar as crianças com sabonete antibacteriano é abrir uma porta para as doenças autoimunes, e alergias. Se sujar faz bem. Fortalece o sistema imunológico.
Os mais antigos devem se lembrar como corríamos na rua, brincávamos descalços e muitas vezes até bebemos água de torneira. Os cuidados com a higiene devem ser usados sempre, mas  com  bom senso.


fonte: Rejane

11 de fevereiro de 2012

Como confirmar que é alergia ao leite de vaca?

Se você suspeita que tem, ou seu filho/a tem Alergia ao Leite de Vaca o primeiro passo é procurar um Alergologista.
Este médico então solicitará alguns exames :

1- RAST: exame de sangue que pesquisa a presença de anticorpos IgE do alimento suuspeito de desencadear a alergia alimentar.
2 -Prick test - um teste realizado na pele, passando o alergeno do alimento suspeito nela, e fazendo uma leitua após um período. A reação é considerada positiva quando surgirem pápulas no local, significando que a pessoa tem anticorpo IgE para o alimento testado.


E se der positivo?
Ter uma resposta positiva à um teste de alergia, nem sempre que dizer que o paciente tenha reações alérgicas. Ou seja, apenas se houver manifestação clínica associada diretamente à ingestão do alimento, os exames podem ser considerados como diagnóstico de sensibilização (alergia) ao alimento.

10 de fevereiro de 2012

Ingredientes disfaçados e perigosos

Para os Alergicos ao Leite de vaca, é muito importante ficar atento com os rótulos, que muitas vezes trazem ingredientes que contém as proteínas do leite, mas tem nomes que não aparentam.

Veja abaixo uma lista de nomes de ingredientes que devem ser evitados por que tem Alergia ao leite de vaca, pois podem conter leite:
Aroma de queijo
Caseína
Sabor creme da Bavária
Caseinato
Sabor creme de coco
Lactoalbumina
Sabor de açúcar queimado
Lactoglobulina
Sabor de manteiga
Lactose
Sabor iogurte
Lactulose
Sabor leite condensado
Proteínas do soro
Sabor queijo
Soro de leite
Whey protein
Sabor artificial de manteiga
Soro de Manteiga

Fonte:   Alergialeitedevaca.com.br

9 de fevereiro de 2012

Lanches práticos par alérgicos

Não vivemos só de almoço e janta.
Já foi divulgado por vários médicos, e mesmo por nutricionistas, que para termos uma alimentação saudável devemos incluir lanches nos intervalos das principais refeições, ou seja, pelo menos 2 lanches diários, um pela manhã e outro pela tarde.
E convenhamos, escolher lanches práticos, que estejam prontos para uma saída rápida, podem facilitar muito a vida moderna de todos nós.

Então aqui seguem algumas sugestões de lanches prontos sem leite de vaca, derivados ou traços, para serem levados, tanto para adultos, que no geral querem algo com menos calorias, como para crianças, que geralmente precisam de algo que sustente o crecimento.

Biscoitos: Minis Mix de Aveia e Cacau; Mix de Grãos e Mel; Cookie organico sabor chocolate; que são vendidos em pequenos pacotinhos.


Chocolate: Pops de Chocosoy da Olvebra, Choco Soy Mais, Barrinha de Choco Soy tradicional, Barrinha de ChocoSoy crispies.

Bolinhos prontos Bolinho Integral com Castanha do Pará e Bolinho Integral com Sete Grãos da Suavipan.



Lembrando que as sugestões acima não contém leite, mas que e mesmo já tendo sido testados por mim, muitas vezes as fábricas fazem alterações, portanto antes de consumir leia o rótulo e se achar necessário ligue para o Sac do fabricante.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...