29 de outubro de 2014

Testes de alergia: falando um pouco

A alergia é uma doença muito complicada de ser diagnosticada.
Vou tentar falar sobre algumas possibilidades quando realizamos exames para tentar ajudar quem está tentando descobrir se o problema de saúde é alergia.

Em primeiro lugar, sempre é necessário que um médico, de preferência alergista, analise o caso e
ajude a orientar o paciente tanto em exames quanto em condutas. Fazer tudo sozinho pode levar a erros que podem custar a vida do paciente.

Quais os testes mais comuns para diagnosticar a alergia?
São principalmente 2:
RAST: exame de sangue que pesquisa a presença de anticorpos IgE (responsáveis pela alergia) para o alergeno suspeito de desencadear alergia.
Teste cutâneo ou Prick test: teste realizado na superfície da pele usando alergenos suspeitos. Se após 20 minutos houver a aparição de pápulas (bolinhas vermelhas) no local mostra que houve reação alérgica na pele da pessoa, indicando que esta pessoa tem anticorpo IgE para este alergeno.


Se o Teste cutâneo ou PRICK positivo quer dizer que a pessoa tem alergia?
- Não. A alergia requer sintomas clínicos. Se o teste der positivo e não tiver os sintomas clínicos, é possível que o organismo reaja ao alergeno testado, mas que a pessoa não tenha alergia à ele.

Se o Teste de sangue ou RAST positivo quer dizer que a pessoa tem alergia?
- Também não. Precisam haver sintomas alérgicos para que a pessoa realmente tenha alergia.

Se a pessoa fizer RAST é necessário fazer o PRICK?
O RAST e o teste cutâneo PRICK tem o mesmo objetivo e não precisar se fazer os dois. Seu médico deve escolher qual o mais apropriado.

Se o teste Prick ou RAST der negativo a pessoa pode ter alergia?
- Sim, é possível. Se houver sintomas clínicos de alergia, e é comum ter alergia mas em nenhum exame aparecer. O médico é a pessoa indicada para ajudar no diagnóstico.

25 de outubro de 2014

A arte de não ter pena

Sabe qual a frase que eu odeio que digam para a minha filha que é alérgica às proteínas do leite de
vaca?
"Coitadinha não pode comer leite..."
Não devemos ter pena dos alérgicos. Não é um sentimento saudável. Ele subestima o valor que aquela pessoa tem.
Ela não é coitadinha.. ela pode comer diversos alimentos saudáveis, ela é saudável.

Quando descobri que minha filha tinha alergia com  7 meses de vida eu tive pena dela, ficava triste, chorava pelos cantos. Até que um dia meu marido me perguntou se eu daria bebida alcoólica para minha filha, respondi que claro que não, faria mal para ela. Ele respondeu que o leite também faria mal pra ela.
Isto me libertou, não ter pena foi a melhor coisa que aconteceu para minha filha.

Passei a olhar para as coisas que ela podia, o lado positivo, e dei opções para ela.
Hoje com 9 anos, ela é muito bem resolvida, e vive uma vida quase normal sem leite de vaca.

Claro que às vezes eu sento e choro, me pergunto porque ela tem de ter esta alergia que nunca vai embora, porque tivemos que ser nós os escolhidos para que ela tenha várias reações raras.
Infelizmente ainda não tive respostas, mas ao final do choro, eu ergo a cabeça e me lembro de tudo de bom que ela pode fazer.. e seguimos nossa vida muito bem obrigada.

Diferença entre Alergia às proteínas do leite de vaca e Intolerância à Lactose

Muitas pessoas ainda se confundem com a diferença entre Alergia às proteínas do leite de vaca e Intolerância à Lactose(açúcar do leite).

Ao lado a imagem explica esta diferença.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...