26 de agosto de 2013

Amamentando um alérgico ao leite de vaca

É unanimidade entre os médicos que a amamentação previne alergias, mas existem alguns cuidados que devem ser tomados.
A alergia ao leite de vaca geralmente aparece quando somos bebês, e então as crianças diagnosticadas
com alérgicas às proteínas do leite de vaca necessitam que a mãe que a amamenta faça também restrição ao leite e seus derivados já que as pesquisas mais recentes comprovam que as proteínas do leite viajam através do leite materno e sensibilizam o paciente fazendo que ele tenha reações.
Até hoje o tratamento mais recomendado e comprovadamente eficaz para a alergia é a retirada de todos os alimento que contenham leite e seus derivados, e isso complica um pouco também para as mãe que não conseguem amamentar seus filhos no peito.
A vantagem é que hoje em dia existem opções.
Até o sexto mês não é recomendado entrar com fórmulas à base de soja, já que 30% dos alérgicos ao leite de vaca também desenvolvem alergia à soja, então o recomendado são as fórmulas hipoalergênicas (extensamente hidrolisadas). Nestas fórmulas, as proteínas do leite estão fracionadas em 90%, diminuindo as possibilidades de causar alergia.
Nos casos mais graves necessitamos utilizar fórmulas não alergênicas (estas não contém proteínas intactas, mas somente aminoácidos), desta forma evitamos quaisquer reações alérgicas.
Para crianças pequenas o governo provém estas fórmulas não alergênicas gratuitamente, mas é necessário fazer um processo pelo posto de saúde local.
Independente da forma como irá alimentar o Bebê alérgico, procure um alergista para que ele possa lhe orientar melhor.


9 de agosto de 2013

Viajando com o alérgico: Praia do Forte - BA

Nas férias de Julho é sempre bom fugir do frio de onde moramos, São Paulo. Neste ano decidimos alugar uma casa com amigos na Bahia, no município de Mata de São João, ou para os mais íntimos Praia do Forte.
O lugar é lindo, as praias tem recifes que na maré baixa se tornam piscinas cheias de peixes, ouriços e outros animais marinhos que se pode observar sem necessidade de qualquer equipamento profissional.
Nas proximidades existe uma unidade do Projeto Tamar que possui grandes e pequenas tartarugas, diversos peixes e os tubarões que podem ser tocados pelas crianças. A área de visitação é excelente para crianças de todos os tamanhos.

Ficar em uma casa com cozinha sempre nos dá a vantagem de poder controlar o que iremos comer e evitar acidentes com leite ou traços dele. O mercado da vila não é muito grande, mas tem de tudo e algumas opções especiais para os alérgicos, inclusive pão, leite condensado de soja, e sucrilhos. Claro que eu levei algumas coisas na minha mala que salvaram o lanche e o café da manhã (Leite Ades Soja Chocolate com Coco, biscoito água e sal, sucrilhos de chocolate, etc).
A melhor praia para se passar o dia é a Praia do Lord, que tem locação de cadeiras, pode-se chegar lá num transporte chamado Tuque-Tuque, que é uma moto com um reboque para passageiros, as meninas adoraram.
A boa surpresa da viajem foi o picolé da Capelinha, fabrica local, todos os sabores, inclusive o de chocolate são feitos sem leite de vaca, claro que minha filha se esbaldou, chegou a tomar 7 sorvetes num dia só.

Na vila há vários restaurantes famosos, e na sua maioria as pessoas são solicitas para ajudar com o preparo de coisas sem leite, mas fique atento as pessoas nem sempre compreendem os traços. Nós comemos um camarão no bafo legal no Terreiro Bahia.
Passear pela rua da Vila foi ótimo, distraía a todos, se for de bici-taxi então mais divertido.
As férias foram muito agradáveis e já estou planejando retornar...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...