11 de janeiro de 2019

Lactose nos medicamentos

Alergia ao leite de vaca é muito comum em crianças pequenas, a maioria dos medicamentos tem de ser líquidos para facilitar as doses de acordo com o peso da criança e ter facilidade na hora dela tomá-los.
Minha filha já tem 14 anos, uma adolescente, que toma medicamentos doses de adultos.
Há 2 anos, quando precisamos mudar o formato das medicações fiz um post falando sobre a dificuldade em encontrar comprimidos que não contivessem lactose, o açúcar de deriva do leite de vaca e é usado como excipiente da maioria dos comprimidos.
A minha amiga Ana Rita Keller, que também tem um filho adolescente alérgico ao leite de vaca, mencionou no nosso grupo de alergia na adolescência que a ASBAI, associação brasileira de alergia e imunologia, fez um artigo sobre sua pesquisa de corantes e LACTOSE em medicamentos no Brasil.
Segue aqui um trecho:

"A lactose é um dissacarídeo que tem como função estabilizar as preparações farmacêuticas, sendo extraído do leite de vaca por coagulação e filtração da espuma do leite, com separação de suas proteínas. Este processo é aparen- temente muito eficaz, de forma que a presença de lactose em medicamentos não é considerada uma contra-indicação ao seu consumo por pacientes com alergia a proteína do leite de vaca (APLV). Recentemente foram descritos casos de sibilância e anafilaxia após ingestão de medicamentos com lactose comprovadamente contaminada com proteínas do leite de vaca.
No Brasil, as indústrias farmacêuticas são obrigadas por lei a discriminar os ingredientes inativos na bula dos medicamentos, mas não de informar seus efeitos adversos nem de utilizar nomenclatura uniforme. A partir de 1998 tor- nou-se obrigatória a utilização de lacres de segurança nas embalagens de medicamentos, tornando o acesso pelo paciente às informações de bula (como componentes da formula) disponível somente através de compêndios comerciais de bulas
Este trabalho tem por objetivo avaliar a presença de corantes e de lactose em medicamentos habitualmente utilizados em prescrições pediátricas no Brasil e descrever as reações adversas mais relatadas na literatura relacionadas a estes aditivos."


Para ler o artigo completo clique aqui: ASBAI.org.br

E qual a conclusão?
A minha conclusão é que medicamentos que contém Lactose não são seguros para a minha filha, que é anafilática e reage à traços, que, segundo o artigo são frequentes nos medicamentos com excipiente de lactose.
Você precisa ver qual a sua posição, consulte um médico se necessário.

O que devemos fazer?  
Eu me organizei e fui à uma farmácia, e pedi ao farmacêutico que me ajudasse a encontrar opções dos medicamentos mais usados pela minha filha sem lactose.
Por exemplo: Ibuprofeno para dores, cólicas. Antialérgico.
Muitos eu não encontrei, por exemplo: Corticoide e antialérgico para coceira, antigases.
Fui então ao médico da minha filha e pedi que receitasse os medicamentos de emergência para fazê-los em farmácia de manipulação.
Levei a receita na farmácia e conversei com a farmacêutica e solicitei que os fizessem sem lactose.

Próximo passo?
Conversar com os médicos, eles são o canal direto com a indústria farmacêutica que está perdendo vendas de antialérgicos, corticoides, etc, pois os pacientes não podem usá-los

Temos de ser ouvidos, hoje a população alergica é enorme, uma medica disse uma vez que se alergia fosse contagioso seria considerado uma epidemia, por causa de seus números crescentes nas últimas décadas.

Para saber mais sobre Lactose clique aqui: Artigos sobre Lactose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...